News

Onde morar em Toronto?


Para quem está chegando, conheça alguns dos bairros e regiões da cidade.

Foto: Lizardo Carvajal.

Luiza Sobral é colunista do Jornal de Toronto

West, East, North, South. Provavelmente no Brasil você não tinha o costume de falar coisas como: “Eu moro na Rua Tal Leste, no quarteirão sul da Avenida Bla. Vai subindo em direção norte!”. No Canadá, isso é comum de se ouvir. Quando cheguei aqui, achei que nunca iria entender; agora, já ficou fácil. As cidades norte-americanas, incluindo Toronto, são bem planejadas e fáceis de compreender. As ruas são longuíssimas, se estendem por vários bairros – às vezes, cruzam até diferentes cidades. A Yonge Street já esteve no Guinness Book como rua mais longa do mundo; e é ela mesma que divide a cidade. Olhando para o lago – que é o ponto sul da cidade – o que estiver à esquerda da Yonge Street é o lado leste (East), e o lado direito é a região oeste (West). Quanto mais distante da Yonge você estiver, mais leste ou oeste você estará.

“Tá, ok, acho que entendi. Mas e agora, para onde devo ir? Onde ficar, onde morar?”

A resposta é: depende do seu objetivo. Está vindo para ficar poucos dias e a ideia é explorar? Sacrifique o quesito espaço, e talvez desembolse um pouco a mais, mas escolha um bairro downtown. Está mudando de mala e cuia com a família? As casas e apartamentos fora do quadrante central vão ser mais espaçosos e confortáveis. Se você estiver sem carro, procure algo próximo ao metrô.

Downtown

Afinal, quais são exatamente os limites de downtown Toronto? Sul da Bloor, oeste da Church, leste da Dufferin: o quadrante que engloba esses perímetros é o mais centralizado, o mais movimentado e onde se hospeda a maioria dos turistas quando vêm conhecer a cidade. Mas dentro disso há vários bairros, com várias identidades diferentes. Uma simples análise de alguns:

West Queen West – foi eleito pela Revista Vogue o segundo bairro mais cool do mundo – apesar de tecnicamente não ser um bairro, e sim a região ao redor da rua Queen, na parte oeste da Bathurst, até mais ou menos a Ossington Ave. Porquê? Barzinhos, restaurantes e boutiques funky, trendy, e todos os outros adjetivos que fazem moda com pessoas interessantes. Ah, e também é onde está a nova sede do Jornal de Toronto, claro!

Lojas na Queen St. West. Foto: Richard McGuire.

Trinity Bellwoods – agora esse sim é bairro oficial, apesar de muita gente conhecer só o parque de mesmo nome. E é o parque que é a sensação da área, unindo a Dundas West, uma rua com vida noturna interessante e bastante influência portuguesa, a uma das partes mais gostosas da mesma Queen West, que mencionamos acima.

Fashion & Entertainment District – digamos que é o “meio do buxixo”, onde fica a CN Tower, os teatros da King St. W., o shopping a céu aberto na Queen St., as baladas mais ferventes, e a maior concentração de restaurantes. Costumava ser a região mais cara para se morar, mas com a inauguração de conjunto de prédios arranha-céus, como o CityPlace, o preço de aluguel de apartamentos (normalmente, minúsculos) barateou um pouco (porém, aumentando o trânsito de carros por ali).

Yorkville – o bairro chiquetê de Toronto! Lojas de grife, pessoas ricas, clínicas de botox, essas coisas.

Little Italy – o bairro da comunidade italiana fica ao redor da College St. e tem também alta concentração de estudantes e restaurantes.

Chinatown – dispensa apresentações. É uma mini-China bem no meio de Toronto. A grande vantagem é, inclusive, sua ótima localização – e com preços às vezes mais baixos do que outros bairros vizinhos.

Vista de downtown, a partir do campus da UofT. Foto: Hao Zhang.

Kensington Market – a região das ruas Augusta e Kensington, norte da Dundas St., é a mais hippie da cidade. Viver ali pode ser gostoso, mas o morador tem que se acostumar ao alto movimento noturno e de turistas durante o dia.

Church & Wellesley – o bairro mais simpatizante de Toronto. Mas muito além da alta concentração LGBT da cidade, a região é cheia de restaurantes e bares e uma energia menos pretensiosa do que os bairros centrais do lado oeste.

Ufa! Esses são só os principais – mas deu para você ter uma ideia de como downtown Toronto está dividida. A vantagem, no geral, de morar nessa região é a facilidade de mobilidade (você não precisa de carro, sempre tem comércio perto, uma bicicleta quebra o galho). A desvantagem? O preço de um “apartamentico” é normalmente mais alto do que de um de tamanho beeem melhor, mas menos centralizado. A regra é: quanto mais longe de downtown, mais espaço o seu aluguel te compensa.

Alguns bairros legais (porém, fora do quadrante central) são

Parkdale + Roncesvalles – praticamente fechando o oeste da Queen St. W., o bairro é considerado downtown por alguns. Um streetcar facilmente te leva a CN Tower. A região era mais caída, quase meio gueto, mas a popularidade da Queen se estendeu para lá e hoje é mais hippie-cool, inclusive sendo chamada de “VeganDale”.

High Park – morar perto do maior parque da cidade é uma vantagem para os amantes da natureza. Quanto mais próximo da Bloor St., melhor.

Região da Bloor West Village, próxima ao High Park.

Earslcourt – se você quer estar perto da comunidade brasileira, essa é a melhor área. Restaurantes, como o Rio 40 Graus, salões de beleza e outros comércios, brasileiros e portugueses, se concentram aqui.

Yonge & Eglinton – considerado a região mais “downtown de uptown”. Explico: entre os bairros de midtown ou uptown, é dos mais movimentados. O cruzamento das duas ruas é quase tão cheio como o cruzamento da Bloor com a Bay, e as opções de comércio são muitas. Fica ali pertinho o bairro Leaside, vizinhança com casas bem legais e escolas ótimas para crianças.

Casa Loma + Rosedale + Summerhill + Moore Park – aqueles bairros que são o melhor exemplo de sonho americano. Casas lindas e grandes, todas com preços de compra acima dos 2 milhões.

Beaches + Leslieville – bairros da região leste, próximos ao lago. As casas são lindinhas, e o clima é bem família. Uma opção para quem quer ficar próximo à praia, porém escolha Leslieville se você pretende ir a downtown com mais frequência, pois o streetcar até as Beaches leva uma eternidade – ok, mais ou menos uma hora.

Enfim, Toronto é uma cidade grande, mas nem tanto. E a melhor vantagem: é, em grande parte, segura. Seja norte, sul, leste ou oeste, espero que nosso resumo de bairros te ajude na escolha e que, situado, você se sinta em casa.

Oh Canadá!

Sobre Luiza Sobral (36 artigos)
Luiza é paulista de nascença, baiana de coração, e adoraria morar no Rio. Viajando o mundo em 2008, acabou conhecendo seu marido no Canadá. Está em Toronto desde 2011, onde se certificou como jornalista. Ama escrever, principalmente sobre viagens e outras maravilhas da vida.

1 comentário em Onde morar em Toronto?

  1. Muito interessante é útil pretendo ir ano que vem.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s