Felizes para sempre

Quatro noivos apaixonados. Dois casamentos. Uma cerimônia só.

Foto: Stux.

Antônio Francisco Pereira é escritor em MG

Quatro noivos apaixonados. Dois casamentos. Uma cerimônia só. Linda. Tudo transcorreu às mil maravilhas, de acordo com o figurino. Os padrinhos, as testemunhas, os votos e o buquê de flores. Enfim, no último dia 24, a felicidade também se hospedou no Lar Maria Clara, em Contagem, onde os noivos já residiam há muitos anos, com outros 60 idosos que já não encontravam mais abrigo no seio das próprias famílias. Cadeirantes, os quatro foram conduzidos ao altar improvisado, onde disseram o “sim”, radiantes de emoção.

Neide, Rodrigo, Antônia e Geraldo. A mais nova com 68 anos. O mais velho com 84. Agora, felizes para sempre. “Todo dia eu me apaixono por ela”, declarou o octogenário Rodrigo, com os olhos postos na amada. E ela, toda derretida: “Ele é meu homem, meu amor e minha vida”.

Por que não? Quem decretou, no céu ou na terra, que o amor tem idade? Que o beijo, o mais sensual dos beijos, foi autorizado pelos deuses somente para os jovens com a carne em flor e o desejo em ebulição? Em que lei, em que artigo da Constituição está escrito que a cadeira de rodas constitui uma excludente de felicidade na união de dois corações apaixonados?

Perguntem aos poetas e eles responderão, com Mário Quintana: “O amor é quando a gente mora um no outro”. Portanto, se já moram um no outro, longe de suas respectivas famílias, tornaram-se uma só carne e um só corpo, para além das convenções, a lembrar o poeta lusitano: “Para tão longo amor, tão curta a vida”. Mesmo sem o arroubo da juventude, certamente descobrirão um no outro inexploradas “zonas erógenas” que fariam corar seus netos.

Não vão passar a lua de mel em Roma ou Paris, é claro, mas no mesmo Lar Maria Clara, que os acolheu. Deixemo-los em paz, portanto. Os pombinhos querem privacidade e já foram vacinados contra a Covid. Não há mais perigo de contágio. Daqui para frente só serão contaminados pelo amor. Pelo mais puro e desinteressado amor. Até que a morte os separe.

Sobre Jornal de Toronto (667 artigos)
O Jornal de Toronto nasce com o intuito de trazer boa notícia e informação, com a qualidade que a comunidade merece. Escreva para a gente, compartilhe suas ideias, anuncie seu negócio; faça do Jornal de Toronto o seu espaço, para que todos nós cresçamos juntos e em benefício de todos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: