News

Multicultural, pero no mucho


Sendo o Canadá tão multicultural, por que não se encontra nos shoppings refeições que remetam às nossas origens?

Praça de alimentação do West Edmonton Mall. Foto: Daniel Case.

José Francisco Schuster é colunista do Jornal de Toronto

O Canadá e Toronto, em particular, são conhecidos pelo seu multiculturalismo, com uma grande variedade de línguas, costumes e tradições podendo ser encontradas entre a população e suas instituições. Contudo, o multiculturalismo não é onipresente, sendo uma das notórias exceções as praças de alimentação (food courts) dos shopping centers (malls). Percorra qualquer uma delas e você encontrará praticamente uma repetição das mesmas grandes redes presentes nos demais shoppings. O detalhe é que, descontada a “comida-porcaria” (junk food), como os hambúrgueres e frangos fritos, as opções que se encontram são basicamente de comida asiática (chinesa, japonesa e tailandesa). Fora isto, também faz parte do pacote quase sempre um fast-food de comida grega, única opção de alimentação de origem europeia, que é a salvação da lavoura para muitos brasileiros que buscam um tempero mais próximo do que estão habituados.

De fato, está fazendo 50 anos que foi criada a expressão “comfort food” (a “comida de conforto”), que traz a quem come um valor sentimental ou nostálgico. O supremo exemplo é a “comida da mamãe”. Para imigrantes brasileiros, se alguém fizer uma festa oferecendo pão de queijo, coxinha e guaraná, é certo que arrancará suspiros e tudo desaparecerá em minutos. E sendo o Canadá multicultural, por que não se encontra nos shoppings refeições que remetam às nossas origens? Mesmo tendo o Quebec praticamente ao lado, não se encontra nos shoppings de Toronto sequer representação da culinária francesa.

Claro que o sonho dourado dos brasileiros seria encontrar nos shoppings comida brasileira, e sair com um prato-feito na mão, com feijão, arroz e picanha assim como multidões buscam no BrazilFest. Temos excelentes restaurantes brasileiros em Toronto, mas falta algo rápido para o dia a dia, como os bufês a quilo, com os quais nos acostumamos no Brasil. Mas veja que até comunidades imigrantes muito maiores e mais antigas no Canadá, como os portugueses e italianos, não estão representados nos shoppings, apesar de sua famosa culinária.

Entendo que há toda uma questão comercial, e poderosos investidores por trás da situação atual; afinal, um estabelecimento no shopping tem um custo de aluguel muito maior do que o comércio de rua. Mas por que não apostar em nichos de mercado? Um corajoso se estabeleceu recentemente com um posto de comida hispana no Sheridan Mall, e está com um bom movimento. Basta enxergar o ovo de Colombo.

Sobre José Francisco Schuster (16 artigos)
Com mais de 35 anos de experiência como jornalista, Schuster atuou em grandes jornais, revistas, emissoras de rádio e TV no Brasil. Foi, durante 8 anos, âncora do programa "Fala, Brasil", e agora produz e apresenta o programa "Noites da CHIN - Brasil", na CHIN Radio.

1 comentário em Multicultural, pero no mucho

  1. Leve em conta que a comida das praças de alimentação refletem o que o canadense conhece devido a imigração de longa data daqueles povos.

    A imigração brasileira e hispânica é recente de número bem inferior às outras que se estabeleceram aqui.

    Para comer comida parecida com a brasileira, há vários restaurantes portugueses e alguns pequenos negócios brasileiros.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s