News

A batalha da pronúncia


Sempre vai ter aquele som que te faz querer desistir de falar inglês.

Foto: Engin Akyurt.

Emma Sheppard é colunista do Jornal de Toronto

Para cada pessoa, sempre vai ter aquele som (ou aqueles vários sons) que te faz querer desistir de falar inglês. Parece que não adianta ganhar fluência, mas sempre estaremos enrolando a língua com “world”, ou mostrando três dedos para distinguir entre “three” e “tree”. Sim, é frustrante. A verdade é que sempre haverá palavras difíceis. É importante lembrar que há diferença entre “pronúncia” e “sotaque” – e nós sempre teremos um sotaque –, mas com esforço e muito treino você poderá pronunciar os sons corretamente.

Para mim, que sou americana e fui morar no Brasil sem saber nada de português, o som que foi meu maior inimigo foi o “ão”. Bem, depois de uma longa jornada, que começou comigo jurando que não havia diferença alguma entre a pronúncia de “mão” e “mau”… e seguindo com horas treinando “chão, não, avião” na sala de professores onde trabalhava… consegui! Deu para pedir um “pão” sem medo, e falar “não” sem sair “now”.

O meu processo, como todos, teve quatro etapas. A primeira, o reconhecimento, quando alguém está falando duas palavras distintas, mas seus ouvidos juram que é uma só. E então vem a segunda, depois de ouvir milhões de exemplos, quando você já pode ouvir a diferença, mas ainda não consegue falar. Eu havia passado mais de 20 anos sem fazer um único “ão” na minha garganta – e tive que treinar isso, claro. Para você, talvez sejam 30 anos sem pronunciar o “th”, ou 40 sem um “l” puxado ao final da palavra. E pronúncia não é uma questão de desejo, mas de treino. A terceira etapa vem quando você já pode pronunciar seu “ão” ou “th” em qualquer contexto e ao lado de qualquer outra letra – não só o “three”, mas, por exemplo, o “the”, o “everything” e o “mouth”. Em um determinado momento, depois do seu treino diário – repetindo e olhando no espelho cada movimento da boca –, vai chegar o dia da quarta etapa: falar esses sons sem pensar. 

Para mim, não sei quando foi a primeira vez que um “são” saiu sem esforço, mas sei que aconteceu, e que pode acontecer para você também, com qualquer pronúncia que esteja te dando problemas. Por isso, não desista; você vencerá essa batalha.

 

Sobre Emma Sheppard (11 artigos)
Emma é nova iorquina, mas paraense de coração. É professora de inglês há mais de 10 anos, com mestrado em Pedagogia pela UofT. Atualmente, Emma dá aulas para a comunidade brasileira e angolana, e para todos aqueles que desejam melhorar a sua experiência no Canadá. _ teacheremma123@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s